...

Pages

Daniele Almeida On sexta-feira, 12 de março de 2010

Em nossa caminhada pela busca da santidade, é muito natural experimentar momentos onde nos preenchemos com a presença de Deus, onde nossas fraquezas são sustentadas por Ele, onde perceber suas delicadezas se torna tão fácil, momentos de imensa alegria, emoção, tudo isso sentimos quando estamos na presença do Bom Deus.
Mas no decorrer de nossa "luta espiritual" nos deparamos com um certo esfriamento em nossa caminhada, nossas orações já não são tão frutuosas como antes,vamos nos distanciando de nossas praticas espirituais, a vontade de rezar que existia antes já começa a não existir mais,nossa vida começa a ser marcada por muitas lutas, sofrimento, questionamentos, inseguranças, e Deus, que antes era tão próximo já não esta mais.
Chegamos a esta conclusão: de que estamos falando e Deus parece indiferente, que estamos sofrendo e Deus não esta movendo para que este sofrimento passe, chegamos tão próximos de nossas misérias que pensamos, que por conta de nossas limitações e pecados, Deus já não se compadece mais, chegamos até pensar o absurdo: Deus não me ama.
E este tempo parece não ter fim. as lagrimas são freqüentes, desânimo,vontade de abandonar tudo, revolta, tudo isso nos envolve quando estamos no tal "deserto ".
Fico a imaginar aquele povo, que Moisés conduziu no deserto durante 40 anos, que passaram por tantas provas, por tantas dificuldades, e necessidades, sofrimento, vontade de parar de voltar atrás, momento em que eles já nem acreditavam mais que existia um Deus que era por eles.(Ex 14,9-16).
Nisso percebo que mesmo em meio a tantas adversidades que passaram aquele povo, a atitude de Moisés de prosseguir foi determinante para que todos eles experimentasse toda a graça que Deus tinha preparado para eles, graça de crescerem espiritualmente de se tornarem homens de fé, não no tempo deles, mas no tempo de Deus, (Não temais e, tem ânimo e vereis hoje a libertação que o Senhor vai operar em vosso favor , Ex 14,13).
Mas quando estamos no "deserto" não entendemos que esse tempo é um tempo de crescimento, amadurecimento e fortalecimento.
É no deserto que somos moldados, la que Deus poda os galhos que existem e demasia em nossa vida, mesmo que doa as podas,mesmo que este amadurecimento venha de duras correções feitas por Ele , mesmo que ao sermos fortalecidos passemos pelo fogo. E passando por tudo isso nos perguntamos; onde esta Deus?
Percebemos que depois de passar por tudo isso, entendemos que é lá no deserto que nos encontramos verdadeiramente e pessoalmente com Deus, que neste deserto Deus nos priva de suas consolações para que aprendamos a buscar o Deus das consolações,
É no deserto que percebemos o quanto Deus se inclina para cuidar de de nós, é lá que experimentamos todas as suas delicadezas, o cuidado, o carinho, o Amor Paternal de Deus para conosco.
Deus, às vezes, permite as provações para que aprendamos a “buscar mais o Deus das consolações do que as consolações de Deus”, como disse um santo. São João da Cruz
Deus Cuida de mim, mesmo que eu não veja, mesmo que eu não perceba...
Deus esta comigo por que Ele me ama.
Daniele Almeida

Nenhum comentário:

Postar um comentário